A Claudia da Che Peccato (clique) casou!!!! Parabénssssssss!!!! Que vocês sejam muito felizesssss!!!

 

A noiva e seu vestido!!

 

 

Bom, obvio que eu pedi para ela as fotinhos do casamento, que ela já havia me contado que seria um mini-wedding todo feito e pensado por ela e seu marido!!!

Ela não só me mandou as fotos, como me escreveu como foi tudo e nada melhor que a noiva para contar uma noite destas não é mesmo??!! Portanto, aqui vai!!!

“Escolhi o restaurante Divina Itália, na Vila Madalena. Eu e o Saulo somos descendentes de italianos e desde o primeiro dia em que eu fui lá nesse restaurante, eu amei. Achei super intimista, uma decoração super de bom gosto, aconchegante e com a comida deliciosa. Eles tem um “jardim” na parte externa e eu achei que seria o local perfeito pro nosso mini wedding. Ficaria informal, com plantas e não havia necessidade de uma meeeeega decoração à parte. Era só ressaltar o clima mágico do lugar.

Eu sou super desencanada para decoração com orquídeas, cristais e coisas do gênero. Acho lindo pros outros, mas pra mim não serve. A gente tem esse espírito livre, de criar, então, o lugar tinha que ter a nossa cara. Por isso, fizemos tudo. Todas as mesas foram decoradas com garrafas, que se não eram azuis, eram “forradas” com linha ou fita. Fica lindo e é super fácil de fazer. Assim, fiz várias com a minha mãe.

Detalhe das mesas com as garrafas.


 

As mesas estavam identificadas com garrafas com números; isso porque separamos família, amigos, por mesa…porque não tem coisa pior que chegar num casamento, ficar perdido, não ter onde sentar e sentar com gente estranha. Então, as mesas estavam identificadas com números (tinha uma recepcionista né, pra ajudá-los) e cada lugar também tinha a identificação com o nome da pessoa. A princípio eu faria porta cartões , com um tsuru de papel. Mas como o lugar era aberto, fiquei com medo de voar. Então, vi que era muito comum, especialmente em casórios gringos, a pessoa ter sua identificação na mesa com a própria lembrancinha. Então, foi o que eu fiz. Comprei papel de scrapbook, imprimi todos os nomes e montei, de acordo com cada mesa. Minha amiga, que também entrou pro mundo “doce”, e faz brownies divinos, fez os mini brownies em marmitinhas. Ficaram lindos e cada um já pegava a sua lembrancinha. Bem casado eu gosto, mas queria fugir do mais do mesmo.


Minha idéia era colocar enormes balões brancos, de gás hélio, no alto do toldo…mas quando eles batiam, estouravam….então, acabamos prendendo nas cadeiras. Não ficaram soltos “voando” como eu queria, mas pelo menos estavam lá, intactos.


Colocamos muitas velas nas mesas. As que não eram naquele cachepot de parafina, estavam em porta velas de vidro, que eu também fiz, com aqueles guardanapos lindos que a gente encontra nas casas de artesanato… Como eu precisava de um “altar”, comprei um aparador branco e enchi de flores e velas ao lado. Aliás, todas as flores, e os arranjos do “mini altar”, também fizemos. Fui ao Ceasa no dia anterior e escolhi flores mais despojadas: rosas, gérberas, mosquitinhos…meu buquê eu também fiz. Comprei o mosquitinho, a fita de cetim e os alfinetes e montei. Eu queria alguma coisa simples. Minha vontade era ter feito um de leguminosas, mas acho que eles não combinariam com meu vestido , então, optei por fazer de mosquitinho mesmo.


Mesa de doces: eu fiz todos os doces. E não fiz cupcakes…..o bolo eu encomendei com a Paula Cinini, do The Cookie Shop. Como eu odeio pasta americana (acho LIIIIIINDO, mas a idéia de desmontar um bolo pra comer, não me agradava em nada) fiz esse bolo inspirado no da Hilary Duff. Vi e me apaixonei. Sem cobertura, mas lindo. As bandejas da mesa de doce, também foram feitas pela ala feminina da família. Compramos numa casa dessas de peças de MDF e minha mãe e irmã pintaram tudo. Coloquei na mesa de doces uma foto minha com meu pai, porque era um local em que todos acabariam vendo. Meu pai faleceu quando eu tinha 14 anos, então, fotos dele foram colocadas em locais estratégicos, pra dar a presença dele que eu precisava.




Como ñ gostamos de DJ e não tinha nada a ver colocar um no local, por falta de espaço, optamos por um trio de Jazz. Então, quando eu fui entrar, nada de marcha nupcial ou coisa do gênero. Escolhemos My Favourite Things, do Coltrane.

O meu cabelo eu optei por fazer uma trança desestruturada, com duas flores delicadas. Fiz minha maquiagem sozinha, cheguei com o olho já maquiado de preto. Não gosto dessa coisa de olho esfumado delicado de noiva, não combina comigo. E como eu amoooo maquiagem, no dia em que fui conversar com a pessoa que faria meu cabelo/maquiagem, fui com o olho que eu sempre faço, pra pessoa ver o jeito que eu gosto. Ela falou “pode vir maquiada já”. Então acabei fazendo só o cabelo, e no final, ela apenas deu um retoque na minha pele, mas não encostou no meu olho…hahahhhaa…

Coloquei numa mesa uma “árvore” de recados, com galhos brancos e papéis coloridos, que as pessoas iam e escreviam recadinhos. Tbm comprei os galhos brancos no Ceasa…..


Resumindo, quisemos fazer um casamento com a nossa cara, por isso, fizemos tudo sozinhos (com a ajuda da família na hora de montar, claro!).”

E ficou tudo ótimo!!!!! Fora que você deu ideias muito boas para quem também está colocando a mão na massa para o seu dia de noiva!!! Mais uma vez, obrigada por ter divido sua noite com a gente e que vocês sejam muito e muito e muito felizes!!!