A sugestão de lua de mel desta semana da Teresa Perez (clique) pode parecer em um primeiro momento algo “pouco” romântico … mas a cidade é incrivel, cheia de história!!!!! Eu tenho que confessar que fui para Berlim sem muita expectativa e a cidade acabou se tornando um dos lugares mais bacanas que já fui!!!!

Berlim é um impressionante encontro entre o passado e o futuro, expresso em uma arquitetura vanguardista e nos monumentos que narram sua trajetória de glórias e derrotas, em um misto de orgulho e redenção.
Após a queda do Muro e a reunificação da Alemanha em 1990, Berlim tornou-se um destino turístico cada vez mais procurado. E não é para menos. Bombardeada, ocupada e dividida por uma história que deixou marcas profundas, a cidade é hoje um grande parque cultural, além de bela como poucas. Muitos dos edifícios derrubados durante a Segunda Guerra nunca mais foram reerguidos, deixando espaço para inúmeras praças e áreas verdes.
Com uma área oito vezes maior do que a de Paris, e uma população apenas 50% maior, há mais árvores em Berlim do que habitantes, todas numeradas e preservadas na metrópole que prioriza o ciclista e o pedestre.
Fachadas antigas abrigam prédios modernos com designs impressionantes, alternando estilos clássicos com vidro, aço e muito bom gosto. Sem se esquecer de sua história, Berlim tem os olhos voltados para o futuro e a atmosfera efervescente das grandes cidades – disputada por artistas, chefs de cozinha, designers, estilistas, arquitetos… Todos querem um lugar na cidade que desponta como uma das mais descoladas da Europa. A Berlim do século 21 é fashion, hype e totalmente cool.

1. BERLIM

Para conhecer:

– Brandenburger Tor (Portão de Brandemburgo): O Portão de Brandemburgo é o grande símbolo da Berlim antiga e um dos emblemas da nova Comunidade Europeia. A estrutura neoclássica modelada de acordo com a entrada da Acrópole, na Grécia, foi construída entre as duas últimas décadas do século 18. Seus baixos-relevos retratam cenas da mitologia grega, e o conjunto é coroado pela famosa escultura da deusa grega da paz, Quadriga. Em 1806, durante a ocupação francesa, a escultura foi retirada de seu local a mando de Napoleão e levada para Paris. Quando a Alemanha recuperou seu território, a deusa voltou para seu local original, recebeu um mastro e foi adornada com uma coroa de louros. O Portão sofreu muitos danos durante as guerras pelas quais a cidade passou. Atualmente restaurado, continua sendo o principal cartão-postal da capital da Alemanha, próximo de onde passava o Muro de Berlim.

2. Passeios - Brandenburger Tor

– Berliner Mauer (Muro de Berlim): O famoso Muro de Berlim marcou história. A construção foi erguida em 1961 durante a Guerra Fria, e dividia a cidade em duas partes: Alemanha Ocidental, oficialmente chamada República Federal da Alemanha (RFA), dominada pelos capitalistas Estados Unidos, Inglaterra e França; e a Alemanha Oriental, ou República Democrata Alemã (RDA), sob o comando socialista do regime totalitário soviético. O muro possuía 66,5km de gradeamento metálico e mais de 300 torres de observação. Diversas pessoas tentavam fugir para o lado capitalista, o que ocasionou mortes e prisões. Depois de quase 30 anos, em novembro de 1989, ocorreu a queda do Muro de Berlim. Cidadãos de ambos os lados foram para as ruas, ajudar a derrubar o muro e celebrar a histórica unificação alemã. Ainda é possível visitar alguns trechos da construção.

2. Passeios - Berliner Mauer

– Potsdamer Platz (Praça Potsdamer): Devastado pela guerra, o entorno desta praça passou por um rápido processo de recuperação, sendo ocupado por um novo setor financeiro e de negócios. A Potsdamer Platz exibe esplendidas construções, e ao lado de prédios de escritórios, oferece diversas opções de compras e entretenimento.

 

– Berliner Dom (Catedral de Berlim): Maior igreja da cidade, a Catedral de Berlim foi construída entre 1894 e 1905. Ao longo sua história, sofreu graves danos durante a Segunda Guerra Mundial. Sua restauração começou em 1975, e foi concluída apenas em 1993 – quatro anos após a queda do Muro de Berlim. A catedral exibe uma majestosa cúpula, da qual se tem uma deslumbrante vista para o centro da cidade. Outros destaques são o seu museu, a pia batismal, as capelas matrimoniais, a escadaria imperial, e a cripta que guardam cerca de 100 caixões.

2. Passeios - Berliner Dom

– Berliner Fernsehturm (Antena de Televisão de Berlim): Conhecida como Teleaspargo, a torre é a quarta estrutura sem apoios mais alta da Europa, com 368 metros. Elevadores levam os visitantes ao topo, onde há um café e uma plataforma de observação, de onde é possível ter uma incrível vista da cidade.

– Museumsinsel (Ilha dos Museus): A longa ilha que existe na junção dos afluentes do rio Spree foi o berço da história de Berlim. É um dos espaços mais visitados da capital graças a seus museus com acervos de importância internacional e eventos durante o verão. Ali as pessoas caminham em ritmo contemplativo, apreciando os edifícios neoclássicos construídos entre 1830 e 1930. A ilha recebe este nome por concentrar cinco importantes museus: Altes Museum (Museu Antigo), Neues Museum (Novo Museu), Pergamonmuseum (Museu Pergamon), Alte Nationalgalerie (Antiga Galeria Nacional) e Bode Museum (Museu Bode).

2. Passeios - Museumsinsel

Para se deliciar:

– Zur Letzten Instanz (clique): Localizado próximo a Alexanderplatz, o restaurante Zur Letzten Instanz é um dos mais antigos e tradicionais de Berlim, e supostamente foi frequentado por Napoleão e Beethoven. A culinária local é servida em porções fartas.

Restaurantes - Zur Letzten Instanz

Vau (clique): Localizado próximo a Gendarmenmarkt, o Vau possui culinária internacional com influências regionais, em uma agradável atmosfera. O restaurante, classificado com uma estrela Michelin, foi premiado também com 17 pontos no Gault Millau — exigente guia crítico francês de restaurantes, cuja classificação vai até 20 pontos.

Restaurantes - Vau

Fischer’s Fritz (clique): O restaurante está localizado no coração de Berlim. Christian Lohse, um dos chefs mais premiados da Alemanha, é o responsável pelo cardápio eclético e internacional, com deliciosas variedades de frutos do mar. Restaurante classificado com duas estrelas pelo guia Michelin.

Restaurantes - Fishers Fritz

Para descansar:

– Hotel Adlon Kempinski Berlin: O lendário hotel Adlon Kempinski foi construído no início do século 20, teve o prédio original destruído na década de 1940, tendo sido reerguido e reinaugurado em 1997. Conta com localização privilegiada, em frente ao principal cartão postal de Berlim, o Portão de Brandemburgo. Seus 382 quartos e suítes têm designs requintados, com cores vivas. A culinária alemã e outras opções internacionais são saboreadas nos quatro restaurantes; e tratamentos de beleza e relaxamento são desfrutados em seu excelente spa.

Imagem1

Hotéis_Adlon Kempinski, Berlin

– The Regent Berlin: Situado no histórico e cultura bairro de Mitte, o Regent Berlin abre-se para vistas privilegiada e panorâmica da praça Gendarmenmarkt, do Concert Hall e das catedrais do século 18. Com serviço impecável, dispõe de quartos e suítes com decoração clássica e mobiliário em estilo Biedermeier. Seu principal destaque é o restaurante gourmet Fischers Fritz? por seis anos consecutivos premiado com duas estrelas no Michelin. Durante o verão, a propriedade abre o Summer Lounge ? agradável terraço para refeições ao ar livre.

Hotéis - Regent Berlim

– Rocco Forte Hotel de Rome: Localizado no coração de Berlim, o Rocco Forte Hotel de Rome está instalado em um edifício de belíssima arquitetura, construído em 1889. Todos seus confortáveis quartos e suítes têm design contemporâneo e cores vivas. O hotel conta ainda com ótimos bares e restaurantes, que apresentam menus inspirados nas cozinhas mediterrânea e internacional. No spa, os visitantes relaxam com diversos tipos de tratamentos baseados na terapia orgânica.

Imagem2

Hotéis_Hotel de Rome2

assinatura_tpt (3)